PALAVRA DO PRESIDENTE

PALAVRA DO PRESIDENTE

OFICINAS

Oficinas de relacionamento: aprender a aprender,

 

Aprender a fazer aprender a conviver e

 

Aprender a SER - livre de novo, norteados por valores sociais, cidadãos e cristãos;


Atendimento técnico profissional:
- Momento da escuta;
- Oficinas lúdicas;
- Musicoterapia;
- Arte-terapia;
- Hora da leitura;
- Oficina de orientação religiosa;
- Tardes musicais aos domingos com visitas de familiares;
- Videoterapia;
- Palestras educativas

É HORA DE MUDANÇA

O Pr. Aldemi, psicólogo clínico, participou de Reunião do CONAD, nos dias 05 e 06 de maio de 2015, onde foi aprovado o novo Marco Regulatório das Comunidades Terapêuticas. Para ele Todos nós que trabalhamos na recuperação de pessoas com Dependência Química Temos motivo para comemorar. No dia 06 de maio de 2015, em reunião extraordinária o CONAD (Conselho Nacional de Política Sobre Drogas, aprovou o Marco Regulatório para as Comunidades Terapêuticas após uma longa batalha no campo das idéias com audiências públicas e colação do Marco Regulatório no site do Observatório Brasileiro Sobre Drogas. Estivemos presentes na audiência pública de maio de 2014 e agora na aprovação final nos dias 05 e 06 de Maio de 2015. É motivo de comemoração, pois, hoje podemos nos balizar para melhor servir os que estão acolhidos e os que virão em busca de Recuperação. 
O Desafio Jovem Ebenézer, com nove Unidades de acolhimento e uma de formação e capacitação de recursos, em seis Estados da Federação e, com 580 (Quinhentos e Oitenta) pessoas acolhidas, agradece a todos que participaram deste momento, pois, fortalece os que buscam melhoria no atendimento das pessoas que enveredaram no mundo da drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas. 
Vamos em Frente! O nosso alvo continua firme no propósito de resgatar vidas. Vidas que se perderam e precisam se reencontrar consigo mesmas, com sua família.  Um ser Social  precisa viver em sociedade livre das amarras do vícios.

Aldemi Gomes de Paiva.

Psicólogo Clínico
Presidente do Desafio Jovem Ebenézer 
e-mail: aldemi30@hotmail.com

12 98174 0126

A IMPORTÂNCIA DA FÉ 

 

O conceito clássico de "saúde" da OMS foi modificado, desde a Assembléia Mundial de Saúde em 1983, com a inclusão da dimensão “espiritual” de saúde, para “um estado dinâmico de completo bem-estar físico, mental, espiritual e social e não meramente a ausência de doença". 

   

Nesta definição se legitima o aspecto espiritual como essencial para a manutenção da saúde e a inclusão da atenção à saúde espiritual do recuperando, tornando-se elemento indispensável no tratamento da dependência química, funcionando como base de orientação e apoio para a superação da abstinência. Sendo que, muitas vezes, os dependentes não fazem nenhum tipo específico de tratamento medicamentoso, apenas a religião e/ou a fé em Deus garantem a recuperação.

ESPIRITUALIDADE

INCLUSÃO SOCIAL

DESAFIO JOVEM EBENÉZER,

Ao atuar diretamente com a problemática da dependência química, não se limita ao campo do tratamento e da reabilitação, preocupa-se também com os aspectos da inclusão sócio-familiar e garantia de direitos, por meio de políticas e ações concretas de transformação da realidade, buscando a promoção de programas de qualificação profissional, pela soma de esforços com os demais atores sociais, parceiros da concepção holística de tratamento, buscando complementar as ações de reinserção cidadã pelo viés da profissionalização.
Há fortes indicativos que após a interrupção do processo de uso contínuo de álcool e outras drogas, do resgate da saúde, da capacidade emocional, do restabelecimento de valores morais, éticos e sociais, a etapa seguinte é primordial: a qualificação profissional, constituindo-se em ação prioritária do ciclo – processo de recuperação e inclusão, que permita resgatar e/ou despertar as potencialidades do indivíduo para uma eficaz reinserção sócio-familiar e profissional, com possibilidades de empregabilidade e geração de renda. A recolocação no mercado de trabalho é um grande desafio para o ex-usuário de alcool e outras drogas. Obter um emprego, gerar renda e participar dos proventos da família é essencial para o fortalecimento de sua auto-estima e conseqüente reinserção social plena.
            As ações do DJE vislumbram a inclusão social dos partícipes no mercado de trabalho - que exige profissionais cada vez mais preparados e conscientes de sua atuação. O modelo de empregabilidade ora exigido busca elementos essenciais como: competência técnica profissional, adequação às normas e regras institucionais e principalmente a fixação do profissional que fomente o crescimento, o desenvolvimento e a melhoria da capacidade produtiva.
            O desenvolvimento de competências e habilidades torna-se uma premissa para o ingresso de novos profissionais em um mercado que é cada vez mais competitivo e seletivo.
            A capacitação torna-se um recurso estratégico não só de recuperação eficaz, mas de efetiva (re) inserção através do trabalho, a fim de que o conjunto de serviços que a pessoa realize individualmente ou no coletivo possa agregar valores aos produtos e contribuir para ser um diferencial positivo junto às organizações.
            Ao defender qualificação profissional em sintonia com o processo de recuperação e reabilitação, é importante ressaltar o contexto psicossocial que se engendra em torno dos dependentes químicos. O fato é que os efeitos são danosos, tornam instáveis as estruturas familiares, sociais, humanas e culturais da sociedade como um todo, constituindo assim, considerável prejuízo ao presente e ao futuro em todas as dimensões.
            Pessoas que fazem uso abusivo de alcool e outras drogas sofrem e provocam alteração de comportamento, são geralmente autodestrutivas em suas principais dimensões – biológica, familiar, psíquica, emocional, social e funcional. “Corroem” assim os valores que pautam a conduta individual e coletiva dos indivíduos.
            Ao interromper seus projetos, o dependente químico passa a fazer parte de um processo de descontinuidade das fases convencionais da vida: educação formal, capacitação profissional, acessar as tecnologias, empregabilidade e geração de renda. Os efeitos sociais são cumulativos.
            Neste sentido, existe a necessidade da convergência de esforços em torno de um planejamento ordenado, para a implementação de uma rede de proteção composta por ações capazes de abranger um espectro de recuperação que possibilite congregar inclusão social pelo trabalho, segurança, qualidade de vida e estabilidade sócio-familiar.

(012) 3956 3506

ACOLHER | AJUDAR | REABILITAR : DEPENDENTES QUÍMICOS E DO ALCÓOL

LOGO WHATSAPP PNG.png

CENTRAL DE AGENDAMENTO

FAÇA AQUI

SUA DOAÇÃO